quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Psicologia no dia-a-dia: relacionamento e frustrações



Certo dia, estava em uma biblioteca e ouvia os funcionários conversando sobre relacionamentos. Como estamos em recesso escolar, eles ficaram bem a vontade. Quem estava por perto poderia escutar facilmente toda a história. No início pensei em ir até eles e falar que atrapalhavam uns poucos alunos que faziam suas pesquisas. Porém, deixei de lado meu livro e fiquei ouvindo para tentar compreender toda a situação.

Dizem que psicólogo é curioso, mas não se trata somente disso. Estava lendo nesses dias sobre a busca de sentido que cada um realiza. Seja na família, no trabalho, no estudo, etc. E ali bem perto podia perceber o debate da vida real. Era notório que cada um ficava na espera que o outro (marido, esposa, amigo) o poderia fazer ‘totalmente’ feliz. Porém, o que se podia concluir das três pessoas que conversavam era que eles estavam passando por situações de frustração. Que estavam suportando e havia momentos que eram difíceis.

Vem a nós algumas perguntas: Por que colocamos tantas esperanças nas outras pessoas? Por que delegamos a elas a nossa felicidade? Qual o ponto de equilíbrio entre confiança e ilusão? Será que precisamos melhorar nosso modo de nos colocarmos nas relações?


O que você acha?

Continuamos no próximo post.